quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

Três semanas de agonia, uma de dor.

O dia de hoje marca uma semana desde que passei por um dos piores da minha vida. De um dos dias que eu mais sofri, mais questionei, mais duvidei, mais me indignei com a forma que as coisas são. Hoje se completa sete dias que uma grande amiga nos deixou. A vida é um ciclo, é claro. Mas a gente espera que esse espaço entre o nascer e o morrer seja um pouquinho mais longo, principalmente pra pessoas tão doces como ela, pessoas que mereciam muito mais ter quantas chances fosse necessário pra continuar a brilhar aqui na Terra. Aquele brilho que você reconhecia de longe, pela facilidade que ela cativava qualquer um, pelo bom humor, por sempre ser o centro das atenções nas risadas escandalosas no meio do silêncio da sala ou tropeçar na bolsa de alguém no meio da aula, por ser sempre aquela que ria da piada mais tosca possível, que dançava ao som de qualquer coisa e talvez, principalmente, por ter uma capacidade incrível de colocar um sorriso no rosto dos outros de uma maneira tão fácil quanto ela mesma sorria. Por ser, enfim, aquele coadjuvante que era mais querido que o ator principal, por todos. Ela ter nos deixado foi uma injustiça imensurável, e como disse Woody Allen, "deus não existe e, se existe, não é muito confiável". Ou talvez, também, nós só estejamos sendo egoístas demais. É bem possível que ela esteja em um lugar muito melhor agora, muito melhor do que aqui com a gente - e isso seria muito justo, sim. Ela mereceu por ter lutado tanto pela vida. Talvez, também, ela tenha sido um anjo que resolveu passar pelas nossas vidas pra ensinar a todos nós que nos piores momentos possíveis a união nos deixa mais fortes, mesmo que o motivo fosse a ausência dela. E enquanto presente, ela nos ensinou a força que um sorriso tinha pra cativar alguém. É... Talvez a missão dela tenha sido cumprida. Eu só espero, como eu disse na última mensagem que enviei, que de onde estiver, ela nos mande muita força pra suportar isso, porque superar eu nunca vou ser capaz.
Muitos dizem que os bons morrem cedo, e eu descobri a verdade da maneira mais forte e mais triste possível.

A família 114 te ama e a saudade vai ser eterna, Jami.
Cya.

É...

"Fools - said I - you do not know
Silence is like a cancer grows
Hear my words that I might teach you
Take my arms that I might reach you"
But my words like silent raindrops fell
And echoed in the wells of silence." - Disturbed.

Cya.

sábado, 5 de dezembro de 2015

"De pés descalços cabresteando mágoas."

Há algumas semanas eu ouço essa frase na voz do Humberto. E acho que nada definiria a minha trajetória emocional nesses 22 anos de vida melhor do que essa frase. Acho inclusive que ela é quase melhor do que a frase que "me define" aqui no blog. Não acho isso saudável, mas essa frase abre um ponto reflexivo imenso na minha cabeça, me faz enxergar a vida e as coisas de uma maneira diferente - pra pior. Porque sim, no mundo nada se perde, nada se cria. Tudo se transforma... Pra pior.

Cya.

Fim de hiato.

Como justificativas são necessárias, eu acho que eu senti uma necessidade de passar alguns dias tentando enxergar o lado bom nas coisas sem tentar formar opiniões complexas. Adiantou? Nem um pouco, toda a melancolia que ebulia dentro de mim quis jorrar, por onde desse pra sair. E essa é a postagem que encerra esse hiato curto no ponto de vista cronológico, porém ele é significativamente longo pra mim. Eu não fico sem escrever, não. Eu só não posto, embora continue escrevendo e salvando tudo em ".txt" aqui antes de postar. E tem texto pra caralho, nem metade vem pro blog porque eles conseguem ser piores dos que os que vem - acreditem. Mas o blog me faz falta, uma falta imensa. Porque não basta só escrever, ou só compartilhar um texto, uma frase, uma música. Parece que eu ainda to guardando todos aqueles sentimentos implícitos nessas palavras, que tudo saiu da cabeça pro "papel", mas não me deu aquele alívio peculiar de ter externado essas idéias. É como se eu estivesse guardando o lixo no quintal e não entregando ao lixeiro.

Se fizesse sentido, não teria graça. Cya.

domingo, 29 de novembro de 2015

Esclarecimentos.

O blog vai entrar em um hiato por tempo indeterminado. Talvez seja longo, talvez curto. Tá fora do meu alcance determinar isso, mas eu espero sinceramente não demorar pra voltar. Agradeço a compreensão desde já!

Cya.

The Wicked Witch.

"Everything she is asking for
It all belongs to her
Now she's gone into nothingness
There she waits

Still I can hear her singing in the room
In the room I know she's gone
I've thought "She'll never fail,
All magic will be gone
The day she'll melt away"

This is the end of all the miracles
Still I hear her singing in the dark
Truth has changed, her voice it stays the same
Farewell to you yellow brick road
Still I hear her singing in the dark
While time goes on her voice will fade away." - Demons and Wizards.

Cya.

sábado, 28 de novembro de 2015

Sobre a vida.

Eu sempre me esforço ao meu máximo pra ser positivo, pra ser otimista. Eu juro que sim, e por mais que quando você pense que deu seu máximo, você realmente não deu. E aí você acaba se sentindo pior ainda, fraco por talvez ter se iludido, talvez nem tentado o suficiente, por ter perdido mais uma batalha, enfim. Eu já disse várias vezes aqui que a sua força não tá na capacidade de apanhar sem cair, mas na habilidade de levantar todas as vezes depois de cair. A problemática se torna tonante quando, no meio de alguns dos meus devaneios, eu cheguei a pensar que talvez a vida não te dê rasteiras, não. Afinal, isso é muito simples pra ser digno de um sustentáculo tão imenso e complexo como é esse teatro de deus(es), pra esse período de misteriosa duração que não nos cabe contestar começos e finais, e sim o que fazer no tempo intermediário entre esses dois pontos. O que eu acho que a vida faz - de forma metafórica, claro - é ora ou outra esperar você viver um tempo, construir ambições, mesmo que simples e frágeis, que você trataria como filhas. Então, subitamente, personificar-se em uma gangue de homens maus, te sequestrar, te levar pra um quarto escuro, te espancar até suas forças se esvaírem, te jogar de joelhos, amarrado com os braços pra trás, te amordaçar e estuprar essas suas filhas na sua frente, e em seguida matá-las. É isso o que eu acho que a vida faz. Parece ácido, mas é pertinente, como eu já disse outras vezes. E como eu também sempre digo - tô repetitivo -: deus deve ser um cara com um senso de humor muito macabro. É isso o que eu acho que a vida faz.

Cya.

"I'm gonna let it go."

'Don't want to lock me up inside
Don't want to forget how it feels without
I want to stay in love with my sorrow
Oh, but, God, I want to let it go
Don't want to let it lay me down this time
Drown my will to fly
Here in the darkness I know myself
Can't break free until I let it go, let me go." - Evanescence.

Cya.

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

A realidade.

"Sempre que à medida que fores crescendo tiveres vontade de converter as coisas erradas em coisas certas, lembra-te que a primeira revolução a fazer é dentro de nós próprios, a primeira e a mais importante. Lutar por uma ideia sem se ter uma ideia de si próprio é uma das coisas mais perigosas que se pode fazer." - Susanna Tamaro.

Cya.

domingo, 22 de novembro de 2015

Sinto muito blues.

"Quem sabe ainda sou criança
Ou já estou velho e não sei
Quem sabe eu já entrei na dança
Quem sabe eu não dancei

Disseram que eu não sei de nada
E sabem tudo que eu não sei
Quem sabe a hora está errada
Ou há horas já errei

Talvez eu deixe você escolher
Enquanto eu tô perdido por aqui
Às vezes quero tudo que sonhei
Às vezes o que eu quero é desistir

Pedaços de papel rasgado
Em cima da mesa de um bar
Não fume, não beba, não viva
Não pense em sonhar

Pedaços do meu coração partido
Em frente a uma carta de amor
Não chore, não ligue, não volte
Não ouse me amar

Milhas e milhas tentei percorrer
Por milhas eu não soube aonde ir
Às vezes não espero encontrar
Talvez um dia eu te encontre por aí." - Esteban.

Cya.

Piloto automático.

"Eu nunca fiz questão de estar aqui
Muito menos participar
E ainda acho que o meu cotidiano
Vai me largar

Um dia eu vou morrer
Um dia eu chego lá
E eu sei que o piloto automático
Vai me levar

Eu devia sorrir mais
Abraçar meus pais
Viajar o mundo e socializar
Nunca reclamar
Só agradecer
Tudo o que vier eu fiz por merecer
Fácil de falar, difícil fazer

Quase toda vez que eu vou dormir
Não consigo relaxar
Até parece que meus travesseiros pesam
Uma tonelada

Eu nunca fiz questão de existir
Não queria incomodar
Um dia eu acho um jeito de aparecer
E você notar." - Supercombo.

Sobre.

"O poeta é um fingidor.
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente.

E os que lêem o que escreve,
Na dor lida sentem bem,
Não as duas que ele teve,
Mas só a que eles não têm.

E assim nas calhas da roda
Gira, a entreter a razão,
Esse comboio de corda
Que se chama o coração." - Fernando Pessoa.

Cya.

sábado, 21 de novembro de 2015

Verdades incontestáveis.

"Quando você nasce em um mundo onde você não se encaixa, é porque você nasceu pra ajudar a criar um novo mundo."

Cya.

"Through the eye of the storm."

"If I could find assurance
To leave you behind
I know my better half would fade
And all my doubts
Is a staircase for you
Opened up this maze
The first step is the one you believe in
The second one might be profound." - Shinedown.

Cya.

sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Ausência.

"Eu deixarei que morra em mim o desejo de amar os teus olhos que são doces
Porque nada te poderei dar senão a mágoa de me veres eternamente exausto.
No entanto a tua presença é qualquer coisa como a luz e a vida
E eu sinto que em meu gesto existe o teu gesto e em minha voz a tua voz.
Não te quero ter porque em meu ser tudo estaria terminado.
Quero só que surjas em mim como a fé nos desesperados
Para que eu possa levar uma gota de orvalho nesta terra amaldiçoada
Que ficou sobre a minha carne como uma nódoa do passado.
Eu deixarei... tu irás e encostarás a tua face em outra face.
Teus dedos enlaçarão outros dedos e tu desabrocharás para a madrugada.
Mas tu não saberás que quem te colheu fui eu, porque eu fui o grande íntimo da noite.
Porque eu encostei minha face na face da noite e ouvi a tua fala amorosa.
Porque meus dedos enlaçaram os dedos da névoa suspensos no espaço.
E eu trouxe até mim a misteriosa essência do teu abandono desordenado.
Eu ficarei só como os veleiros nos pontos silenciosos.
Mas eu te possuirei como ninguém porque poderei partir.
E todas as lamentações do mar, do vento, do céu, das aves, das estrelas.
Serão a tua voz presente, a tua voz ausente, a tua voz serenizada." - Vinícius de Moraes.

Cya.

O que se repete, o que se espera.

"A poeira dos livros continua lá. O mesmo vento entra pela janela deixando transpassar todo aquele brilho rubro do fim da tarde. São nessas horas que os olhares opacos fitam o vazio do céu em busca de respostas. Em meio aos fantasmas de vime que vagam na sombra do olhar, tudo o que tentam buscar são respostas. Motivos, talvez. Quiçá explicações. Os braços já não são mais tão fortes para abraçá-las. Mais perguntas são o que acabam sendo enlaçadas. A poeira nos olhos, a história dos livros que satisfazem a alma e a brisa quente que toca o rosto. Tudo familiar demais, assustador. Fantasmas que entoam nomes que eu já conheço, máscaras de cera que insistem em perdurar. Nunca têm muito a dizer, mas insistem em me pedir pra ficar."

Cya.

quarta-feira, 18 de novembro de 2015

Utilidade pública!

Ansiedade e depressão em quadrinhos, pelo artista Nick Seluk, que foi compartilhado no site do "Equilíbrio em Vida". Vale muito dar uma checada clicando AQUI.

Valeu! Cya!

O ocaso da vida.

Eu passei boa parte da minha vida perseguindo e criticando certas doutrinas ensaiadas. Nem sempre pra procurar respostas ou verdades, certas vezes era só pra ser chato. De uns tempos pra cá eu me tornei menos idiota, preferi observar as outras pessoas se afirmando, se contradizendo ou desafiando os outros  de lá dos bastidores ou de uma suposta platéia. Mas óbvio que nada seria tão simples, e eu acabei chegando à certas conclusões, como por exemplo a de que quanto mais você se afasta de ser idiota em um ponto, você sempre acaba sendo mais idiota em outro. Funciona meio que como uma gangorra que nunca tá equilibrada, a vaca nunca fica em cima do muro. E nessa corrente de descobertas, cheguei também á conclusão de que essa chatice nunca sai de você, afinal hoje em dia eu me pego discordando, duvidando e me indagando sobre as filosofias que eu mesmo acredito, afirmo e defendo feito um idiota. Pra concluir esse caminho, acabei concluindo que tanto as tais "minhas filosofias" quanto as obras ensaiadas das doutrinas dos outros são só discursos bonitos. Sempre só discursos bonitos. Pessoas matando-se e matando umas às outras em busca de motivos e razões para existirmos, pra onde vamos e de onde viemos, ensaiando coros de positividade e otimismo - inclusive os próprios que eu prego -, enquanto talvez nós só sejamos animais totalmente inúteis - pra não dizer nocivos - à nossa querida natureza e que tentamos ocupar esse buraco de seres patéticos com preenchimento de ego e desculpas espirituais.

Antes do casual "cya" de todo final, me permito um post scriptum rápido: Eu ando meio negativo, sem esperança nas coisas e nas pessoas, mas é tudo fase - eu acho. A positividade e otimismo práticos - dos quais eu gosto bastante - já devem estar pra voltar - eu acho. Mas eu gosto de externar essas reflexões imbecis, é bom pra futuras consultas, um manual de "como não voltar a ser/pensar". A vida é um ciclo, e não é especulação, isso é um fato.

Abraços fraternais e calorosos. Cya!

terça-feira, 17 de novembro de 2015

Manifesto.

"A gente acorda pra vida e não quer sair da cama
A gente abre a ferida na pele de quem nos ama
A gente vive na guerra, a gente luta por paz
A gente pensa que sabe, mas nunca sabe o que faz

A gente nega o que nunca teve forças pra dizer
A gente mostra pro mundo o que se quer esconder
A gente finge que vive até o dia de morrer
E espera a hora da morte pra se arrepender de tudo

E todas essas pessoas que passaram por mim
Alguns querendo dinheiro, outros querendo o meu fim
E os meus amores de infância e os inimigos mortais
Todas as micaretas, todos os funerais

Todos os ditadores e sub-celebridades
Farsantes reais encobertando verdades
Pra proteger um vazio, um castelo de papel
Sempre esquecendo que o mundo
É só um ponto azul no céu

Quem é que vai ouvir a minha oração?
E quantos vão morrer até o final dessa canção?
E quem vai prosseguir com a minha procissão
Sem nunca desistir, nem sucumbir a toda essa pressão?

(...) Só existe uma maneira de se viver pra sempre, irmão
Que é compartilhando a sabedoria adquirida
E exercitando a gratidão, sempre
É o homem entender que ele é parte do todo
É sobre isso que o manifesto fala
Nem ser menos e nem ser mais, ser parte da natureza, certo?
Ao caminhar na contramão disso
A gente caminha pra nossa própria destruição." - Fresno, Lenine, Emicida.

Cya.

sábado, 14 de novembro de 2015

Reflexões baratas.

"Não há nada no mundo que esteja melhor repartido do que a razão: todos estão convencidos de que a tem de sobra." - René Descartes.

Cya.

quinta-feira, 12 de novembro de 2015

A Dança / Soneto XVII.

"Não te amo como se fosses rosa de sal, topázio
ou flecha de cravos que propagam o fogo:
amo-te como se amam certas coisas obscuras,
secretamente, entre a sombra e a alma.

Te amo como a planta que não floresce e leva
dentro de si, oculta a luz daquelas flores,
e graças a teu amor vive escuro em meu corpo
o apertado aroma que ascendeu da terra.

Te amo sem saber como, nem quando, nem onde,
te amo diretamente sem problemas nem orgulho:
assim te amo porque não sei amar de outra maneira,

senão assim deste modo em que não sou nem és
tão perto que tua mão sobre meu peito é minha
tão perto que se fecham teus olhos com meu sonho." - Pablo Neruda.

Fantástico esse senhor Neruda. Cya.

terça-feira, 10 de novembro de 2015

"And it makes me wonder."

"And as we wind on down the road
Our shadows taller than our souls
There walks a lady we all know
Who shines white light and wants to show
How everything still turns to gold
And if you listen very hard
The tune will come to you, at last
When all are one and one is all, yeah
To be a rock and not to roll." - Led Zeppelin.

Cya.

sexta-feira, 6 de novembro de 2015

And I knew it wasn't me.

"Sometimes I feel like a clown
Who can't wash off his make-up
All she wanted it was gone
Prince Charming I wasn't
But I would trade a thousand Babylons
To be in her arms tomorrow
But like tide her love has come and gone
And it's time for me to go." - ZBB.

Cya.

O que rodeia o sol.

"Felizes
De uma maneira geral, geral
Estamos vivos
Aqui agora brilhando como um cristal
Somos luzes
Que faíscam no caos
E vozes
Abrindo um grande canal

Nós estamos na linha do tiro
Caçando os dias em horas vazias
Vizinhos do cão
Mas sempre rindo e cantando
Nunca em vão

Uma doce família
Que tem a mania
De achar alegria
Motivo e razão
Onde dizem que não
Aí que tá a mágica, meu irmão." - O Rappa.

Cya.

quinta-feira, 5 de novembro de 2015

"And all the people say."

"And I'm just a student of the game that they taught me
Rockin' every stage in every place that it brought me
I'm awfully underrated but came here to correct it
And so it ain't mistaken I'ma state it for the record
I am the opposite of wack
Opposite of weak, opposite of slack
Synonym of heat, synonym of crack
Closest to a peak
Far from a punk
Ya'll ought to stop talking
Start trying to catch up, motherfucker." - Linkin Park.

Cya.

quarta-feira, 4 de novembro de 2015

Pode ser que sim.

Hoje eu li em algum lugar que a dor da alma é muito maior que a dor do corpo. A frase era a premissa pra um texto que vinha em seguida, desses de motivação, imagino eu. No momento, o conteúdo tava fora do meu alcance, infelizmente. Acabei ficando sem resposta e essa afirmação acompanhou o meu dia, me perturbou a insistência em que eu me mantinha tentando entender os porquês. Pras feridas físicas há um tempo de recuperação, de cura. Talvez as cicatrizes que carregamos na pele sejam mais simples porque são visíveis aos olhos dos outros. As da alma só cabe a quem as carrega saber como são, então. O processo de cura é algo pessoal e particular demais. Mas será que é tão difícil? Pode ser "sim". Ou talvez a resposta seja "talvez". Já dizia Clarice que "um amigo me chamou pra cuidar da dor dele, guardei a minha no bolso e fui". Talvez mesmo sem ver e sem saber, são as pessoas que se preocupam e se importam com a gente que nos inspiram a enfrentar nossos próprios demônios. Elas podem não conseguir carregar nosso sofrimento, mas podem nos carregar, em vez disso. É impossível viver sozinho, e é bem possível que aí exista a cura pra dor da alma. É... Pode ser que sim.

Muitos "talvez" são fruto de muito tempo pra pensar. Cya!

terça-feira, 3 de novembro de 2015

Let's just breathe.

"Practiced all my sins, never gonna let me win, uh-huh
Under everything, just another human being, uh-huh
I don't wanna hurt, there's so much in this world to make me bleed
Stay with me
You're all I see." - Pearl Jam.

Cya.

sábado, 31 de outubro de 2015

O melhor que você possa ser.

"- Gostaria que isso não tivesse acontecido na minha época - disse Frodo.
- Eu também - disse Gandalf. - Como todos que vivem nesses tempos. Mas a decisão não é nossa. Tudo o que temos de decidir é o que fazer com o tempo que nos é dado. E, Frodo, nosso tempo já está começando a ficar negro. O Inimigo está se tornando muito forte. Seus planos ainda não estão amadurecidos, eu acho, mas estão amadurecendo. Será muito difícil para nós. Já seria, mesmo se não fosse por esse acaso terrível." - TOLKIEN, J.R.R., O Senhor dos Anéis: A Sociedade do Anel.

Como eu já disse por aqui em outras ocasiões, é fabulosa a maneira com que as pessoas inspiram, motivam e despertam sentimentos bons nas outras com simples palavras. Essa frase que tá em destaque na citação acima - mesmo eu sendo suspeito pra falar por ser um grande fã da obra e do autor - é uma das minhas preferidas entre tantas outras espetaculares. Nem sempre estamos preparados pra lidar com as situações que a vida nos apresenta, nem sempre nos sentimos aptos pra encarar as condições que nos colocam, e as vezes nem pra aproveitar as oportunidades e as chances que nos são dadas. O que cabe a nós, afinal? Ser o melhor que pudermos ser, SEMPRE.

Reflexões baratas, eu sei. Cya!

"Ser justo é diferente de ser bom".

A premissa está estampada, a conclusão fica por conta de vocês. Cya.

Essa não precisa de título.

Todos nós erramos demais por "trocentos" motivos diferentes, reflexão óbvia. Mas é curioso a quantidade de falhas por pura ingenuidade. Sim, ingenuidade mesmo. Seja pelas vezes em que confiamos demais no próprio taco, ou no quanto achamos que somos importantes demais para alguém, e até mesmo por esperar demais das coisas e das pessoas - que é a que mais acontece, penso eu - culminando em situações que se desenrolam provando o contrário. Apesar de eu sempre apontar o ponto negativo de agirmos com estupidez nesses casos, dessa vez tenho algo positivo pra salientar: o quanto temos esperança e força pra acreditar nas coisas. Talvez essas não sejam as melhores amostras disso, mas cabe a interpretação de que a vida nos prega certas peças e acabamos sendo traídos por nosso próprio otimismo, o que nos faz pensar que deveríamos ser pessoas pessimistas por coisa ou outra não ter tido o resultado que esperávamos. E não, muito pelo contrário, devemos pôr a maior fé possível e fazer o necessário pra deixar essa fagulha queimar e se tornar um incêndio incontrolável de positividade em toda e qualquer situação.

Dante sendo positivo soa tão estranho assim? Espero que não.
Cya!

quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Verdades incontestáveis.

É sempre bom compartilhar algo legal. E meditação, que é o caso do texto do link aqui de baixo, salva vidas, digo por experiência própria, já são praticamente sete anos que eu pratico e recomendo. Leiam, prometo que vale à pena. Cya.

http://www.equilibrioemvida.com/2015/10/os-beneficios-da-meditacao-sao-notados-em-cinco-dias-de-pratica-conheca-os/

terça-feira, 20 de outubro de 2015

Somos todos perdedores.

Se você prefere arrumar uma desculpa do que assumir a responsabilidade, você é um perdedor. Se você prefere fugir do que encarar, você é um perdedor. Se você prefere burlar do que se preparar, você é um perdedor. Se você prefere ficar no chão do que levantar, adivinhe? Sim, somos todos perdedores.

Cya. E somos todos perdedores, só pra confirmar que a ideia se fixe.

"It's just your suicide messiah."

Já dizia o poeta que o suicídio diário é que estabelece o seu merecimento pela vida. Metáforas à parte, não sabemos até que ponto a abdicação da vida vale à pena pra fugir de tudo que nos machuca. Não sabemos se o preço pela covardia recompensa o sofrimento. Somos constantemente testados nas nossas tarefas diárias sobre tal indagação: compensará desistir por ser esse o caminho mais fácil, ou trilharemos o mais difícil e lutaremos agarrados à toda esperança possível? Geralmente, no cotidiano temos a ressalva de termos outra chance. Seríamos simplesmente julgados pela atitude impensada e equivocada, caso nossa escolha fosse a errada. Seria simplesmente uma situação em que escolhemos a perseverança ou a covardia. E pra esse veredito supremo e final, abandonaríamos a premissa taxativa da atitude e seriamos, no final, taxados por ser indivíduos covardes? Ou talvez seja esse um indivíduo corajoso? Afinal, estaríamos apostando toda e qualquer ficha que ainda nos restasse. Seria essa uma tentativa em ultimato pra uma possível fuga? Será que isso não seria uma busca desesperada por um refúgio, estando o indivíduo consciente de que ele não teria uma chance de retratação caso o tiro - que trocadilho pertinente-  não saísse pela culatra? Meros devaneios utópicos, eu sei. Talvez seja mais lucrativo discutir sobre a existência de Deus, seria mais provável que se encontrasse respostas.

É... Cya.

domingo, 18 de outubro de 2015

"Through the storm we reach the shore."

"My hands are tied, my body bruised
She's got me with
Nothing to win and
Nothing left to lose." - U2.

Cya.

domingo, 11 de outubro de 2015

"I want to rise today and change this world!"

"The wind is blowing cold
Have we lost our way tonight?
Have we lost our hope to sorrow?

Feels like were all alone
Running further from what's right
And there are no more heroes to follow

So what are we becoming?
Where did we go wrong?" - Alter Bridge.

Cya.

sábado, 10 de outubro de 2015

Verdades incontestáveis.

"A nossa felicidade depende mais do que temos nas nossas cabeças do que temos nos nossos bolsos." - Schopenhauer.

Cya.

domingo, 4 de outubro de 2015

E não é?

"De mim não aprendereis filosofar, mas antes como filosofar, não aprendereis pensamentos para repetir, mas antes como pensar." - Kant.

Cya.

sexta-feira, 2 de outubro de 2015

"Look in my eyes, you're killing me!"

"I tried to be someone else
But nothing seemed to change, I know now
This is who I really am inside
Finally found myself
Fighting for a chance, I know now
This is who I really am." - 30STM.

Cya.

"Can you remember my name?"

"And if you hear me talking on the wind
You've got to understand
We must remain
Perfect strangers." - Deep Purple.

Cya.

domingo, 27 de setembro de 2015

Verdades incontestáveis.

“Uma vez que você leva alguns socos e percebe que não é feito de vidro, você não se sente vivo a não ser que esteja testando seus limites“. - Hooligans.

Cya.

Pull the trigger.

"So sorry you are not here, I've been sane too long my vision's so unclear,
Now take a trip with me but don't be surprised when things aren't what they seem,
I've known it from the start all these good ideas,will tear your brain apart.
Scared but you can follow me,
I'm too weird to live, but much too rare to die..." - Bat Country.

Cya.

sexta-feira, 25 de setembro de 2015

"I'm not to blame."

"I'm not strong enough to stay away
Can't run from you
I just run back to you
Like a moth, I'm drawn into your flame
You say my name, but it's not the same
You look in my eyes, I'm stripped of my pride
And my soul surrenders
And you bring my heart to its knees

And it's killin' me when you're away
I don't wanna leave and I don't wanna stay
I'm so confused, so hard to choose
Between the pleasure and the pain
And I know it's wrong, and I know it's right
Even if I try to win the fight
My heart would overwhelm my mind
And I'm not strong enough to stay away." - Apocalyptica.

Cya.

quinta-feira, 24 de setembro de 2015

World IS on fire.

"The world was on fire
No one could save me but you
Strange what desire will make foolish people do
I never dreamed that I'd meet somebody like you
And I never dreamed that I'd lose somebody like you

No, I don't wanna fall in love
No, I don't wanna fall in love with you.

What a wicked game to play
To make me feel this way
What a wicked thing to do
To let me dream of you
What a wicked thing to say
You never felt that way
What a wicked thing to do
To make me dream of you." - Wicked Game.

Cya.

terça-feira, 22 de setembro de 2015

O ontem que perdura.

"Retórica dos namorados, dá-me uma comparação exacta e poética para dizer o que foram aqueles olhos de Capitu. Não me acode imagem capaz de dizer, sem quebra da dignidade do estilo, o que eles foram e me fizeram. Olhos de ressaca? Vá, de ressaca. É o que me dá ideia daquela feição nova. Traziam não sei que fluido misterioso e enérgico, uma força que arrastava para dentro, como a vaga que se retira da praia, nos dias de ressaca. Para não ser arrastado, agarrei-me às outras partes vizinhas, às orelhas, aos braços, aos cabelos espalhados pelos ombros; mas tão depressa buscava as pupilas, a onda que saía delas vinha crescendo, cava e escura, ameaçando envolver-me, puxar-me e tragar-me. Quantos minutos gastamos naquele jogo? Só os relógios do céu terão marcado esse tempo infinito e breve. A eternidade tem as suas pêndulas; nem por não acabar nunca deixa de querer saber a duração das felicidades e dos suplícios. Há de dobrar o gozo aos bemaventurados do céu conhecer a soma dos tormentos que já terão padecido no inferno os seus inimigos; assim também a quantidade das delícias que terão gozado no céu os seus desafectos augmentará as dores aos condemnados do inferno. Este outro suplício escapou ao divino Dante; mas eu não estou aqui para emendar poetas. Estou para contar que, ao cabo de um tempo não marcado, agarrei-me definitivamente aos cabelos de Capitu, mas então com as mãos, e disse-lhe, -- para dizer alguma cousa, -- que era capaz de os pentear, se quisesse." - ASSIS, Machado de. Dom Casmurro, trecho do capítulo XXXII "Olhos de Ressaca".

Cya, caros leitores.

quarta-feira, 9 de setembro de 2015

Verdades incontestáveis.

"Qual a sua responsabilidade na desordem da qual você se queixa?" - Sigmund Freud.

Perfeito, né? Cya.

domingo, 6 de setembro de 2015

My heartache.

"This distance, this dissolution
I cling to memories while falling
Sleep brings release, and the hope of a new day
Waking the misery of being without you." - Killswitch Engage.

Cya.

domingo, 30 de agosto de 2015

Cinco anos do "eu-lírico"!

No dia dois de agosto de dois mil e quinze o Suave Acidez fez cinco anos de existência. Tô bem atrasado, eu sei, mas antes tarde do que nunca. Afinal, não dava pra passar em branco, são quase dez mil acessos (sim, dez mil!), o que pra um blog anônimo sem assunto específico e sem qualquer tipo de publicidade, é um número bem expressivo, né? Desde 2010 passo por aqui vomitando alucinações, letras de música, trechos, frases, citações, reflexões eloquentes, devaneios utópicos e verdades incontestáveis. Nessas 244 postagens, mesmo que nem sempre tratando sobre algo concreto, só as subjetividades e loucuras que provém da cabeça do louco que aqui vos escreve, sempre procurei usar esse meio como uma válvula de escape pra essas idéias sem muito sentido, mas com muita importância pra mim.
Dessa maneira, eu gostaria muito de agradecer àquelas pessoas que me impulsionaram e me serviram de inspiração pra criá-lo, além de terem composto parte importante da minha vida e da minha formação cultural, são responsáveis por isso aqui também, então fica esse singelo, mas muito sincero agradecimento.
Gostaria de agradecer às pessoas que já serviram de inspiração para o que eu já escrevi e às que são as donas das idéias que apresentei aqui, juro que tentei passar as mensagens sempre da forma mais positiva, onde eu nem sempre consegui, tenho que confessar que xingo pra caralho também.
Gostaria de agradecer minha mãe por ter sempre me incentivado e, quase que literalmente, me enfiando alguns livros goela abaixo e me patrocinando tantos outros, enfim, por ter me inspirando a ter paixão pela leitura e pela escrita.
Meu agradecimento também aos grandes mestres que tive - e tenho, ainda - pelo privilégio de ter tido a mente moldada pelos mesmos (vários deles que trago como amigos pra vida) e por terem me proporcionado a sede incessante pela luz que invade e preenche as nossas mentes através da busca pelo conhecimento. Sim, eu quis dizer "da busca" mesmo.
Gostaria de agradecer, por fim - e em especial - todos aqueles que já leram alguma coisa aqui. Até porque foram muito importantes os que me deram um feedback ora ou outra. Desde os "poxa, legal, até que fez sentido" até os "caramba, eu li e fez todo o sentido pra mim, me ajudou ver de uma maneira diferente", enfim, são por causa dessas situações que eu me mantenho escrevendo, mesmo eu já tendo dito várias vezes aqui que o blog foi feito "de mim, para mim", aquela velha história do "diário pessoal".
No fundo - ou nem tão no fundo assim -, o que vai sempre alimentar a minha vontade de escrever de novo, de compartilhar algo legal de novo, até de vir aqui e meter o pau na minha vida pessoal ou colocar alguma "verdade incontestável" no ar, é o fato da importância e do poder que uma palavra tem pra inspirar alguém, pra fazê-lo refletir e tomar consciência da habilidade que ela tem de convencer o mundo de que o importante é crer nos que buscam a verdade e duvidar dos que dizem ter encontrado.

Que venha por aí mais cinco anos de confusão e redundância, e claro: cya!

"I will break."

"I'm so sick, infected with
Where I live
Let me live without this
Empty bliss, selfishness
I'm so sick
I'm so sick." - Flyleaf.

Cya.

"The same mistake again..."

"So while I'm turning in my sheets
And once again, I cannot sleep
Walk out the door and up the street
Look at the stars beneath my feet
Remember rights that I did wrong
So here I go

Hello, hello. There is no place I cannot go.
My mind is muddy but my heart is heavy. Does it show?
I lose the track that loses me,
So here I go. (...)

I'm not calling for a second chance
I'm screaming at the top of my voice
Give me reason, but don't give me choice
'Cause I'll just make the same mistake again." - James Blunt.

Cya.

domingo, 16 de agosto de 2015

THAT'S DAMN ROCK'N ROLL!

"Ain’t a needle in a vein
It ain’t backstage sex
It ain’t lines of cocaine on a private jet
It ain’t havin’ a posse full of hangers on following you around
It ain’t long hair, tattoos, playin’ too loud (no)

It ain’t a middle finger on a t-shirt, the establishments tryin’ to sell
It’s a guy with the balls who told the establishment to go to hell
It ain’t about the money you make, when a record gets sold
It’s about doin’ it for nothin’, 'cause it lives in your soul

That’s damn rock and roll
That’s damn rock and roll

It’s a rock through a window
It’s a ride in the street
It’s a rebel revolution
It’s fightin’ for pieces
Burn baby burn
It’s a brick in the wall
It’s the first one to stand
And the last one to fall
It’s a hip shaking devil on the stage in tupelo
It’s doing what ya want instead of doin’ what your told
It’s a preacher burning records, tellin’ folks they outta pray
'Cause the shepherd bought a gibson, and led the flock astray

That’s damn rock and roll
Give all ya got ‘till there ain’t nothin’ left
That’s damn rock and roll

Get some grass 'cause the party
And the party got loud
And the party turned into an angry crowd
Drowning demons feel no pain
Found nirvana wasted shame
Gone too soon just like a song
Hendrix, joplin. What went wrong?
Need some answers right or wrong
Need something to blame it on
(Blame it on)

That’s damn rock and roll (give all ya got till there ain’t nothing left)
That’s damn rock and roll (oh)

Another day in another town
Loadin’ the stage, and the lights, and the sound
Here they come boys
They’ve opened doors
Count us off now craig

That’s damn rock and roll
Give all ya got till there ain’t nothin left
That’s damn rock and roll
Gather round ‘till you’ve broken a sweat
That’s damn rock
That’s damn rock and roll (rock and roll)" - Eric Church.

sábado, 15 de agosto de 2015

Trabalho é o nome.

"Disciplina é a ponte que liga nossos sonhos às nossas realizações." - Pat Tillman.

Cya.

sábado, 8 de agosto de 2015

"(...) and asking why."

"When I look into your eyes
there's nothing left to see
Nothing but my own mistakes
staring back at me." - Linkin Park.

Cya.

domingo, 26 de julho de 2015

terça-feira, 21 de julho de 2015

The robot boy.

"You say you're not gonna fight
'cause no one would fight for you
And you think there's not enough love
And no one to give it to
And you're sure you've hurt for so long
You've got nothing left to lose
So you say you're not gonna fight
'cause no one would fight for you

You say the weight of the world
Has kept you from letting go
And you think compassion's a flaw
And you'll never let it show
And you're sure you hurt in a way
That no one will ever know
But someday the weight of the world
Will give you the strength to go."

Cya.

terça-feira, 7 de julho de 2015

No que eu acredito.

Uns chamam de fé, outros chamam de força de vontade. Uns acreditam num gordo bonzinho, ou num metaleiro de batina branca, num elefante rosa, num homem com cabeça de águia, num ruivo com um martelo ou até no Monstro do Espaguete Voador. Os nomes e as formas da sua espiritualidade pouco importam. O importante é a essência, é o que você faz e o porquê você faz. Eu acredito em uma "corrente do bem", aquele efeito borboleta que um simples gesto - como um sorriso no trabalho numa segunda feira de manhã - pode causar. Você só recebe o que você planta, e nem sempre você colhe de maneira direta, mas toda semente que você plantar dará frutos. Esse sorriso, pra quem recebe, por exemplo, pode fazer uma grande diferença. Talvez essa pessoa nunca te veja de novo na vida pra retribuir, mas pras próximas que passarem pelo seu caminho, ela vai saber repassar. Esse sorriso vai tomar o lugar daquele mau humor clássico do começo de semana e vai acabar contagiando outra pessoa, e por aí vai, a corrente se eterniza na complexidade por trás de um simples "bom dia!" que é dado com vontade, temperado com esse sorriso sincero. Pode parecer besteira, mas são nessas pequenas atitudes que você estimula boas coisas e evita que as ruins aconteçam, são nessas pequenas atitudes que você muda o mundo. Afinal, toda muralha foi construída a partir de um pequeno tijolo, né? E toda boa ação partiu de um bom exemplo. Seja o que você espera dos outros, faça e semeie o bem, principalmente nos lugares onde ele não se faz presente. Não se escore em seres antropomorfos imaginários como desculpa pra ser o melhor que você possa ser. Faça isso pelos outros, faça isso por você.

Se não fosse confuso, não teria sido escrito por mim. Cya.

Promessas de um futuro bom.

Todo dia nós descobrimos e aprendemos coisas novas, experimentamos situações por pontos de vista diferentes do que estamos habituados, e tudo isso adiciona no que somos. Já dizia o poeta que é digno dos sábios mudar de opinião, então não perca nenhuma chance de mudar, porque mudar é crescer, é ser melhor pros outros, é ser melhor pra você.
"Os dentes cedem porque são rígidos, a língua permanece porque é flexível" - provérbio chinês.

Cya.

quarta-feira, 1 de julho de 2015

O que eu realmente acho?

É sempre fácil bradar palavras de positividade e transformar tudo em motivo de alegria quando as coisas vão bem. Quando tudo vai mal é que se descobre o verdadeiro valor de quem trava as batalhas internas pra manter o otimismo e a fé acesos, que luta pra manter os olhos no foco e os pés virados pro caminho do objetivo.

Pela milésima vez, "seja o melhor que você possa ser". Cya.

domingo, 28 de junho de 2015

Down where I am.

"(...) Isn't it good to see how life begins
There's no sin and there's no crime
Down where I am there's no bitter end at all
This bitterness is endless, keeps going on and on

I don't wanna hold you
I don't wanna see you
Even birth can bear disgrace
I don't wanna hold you
I don't wanna see you
Or even the smile upon your face

I fear my heart and fear my soul
And all the things that are unknown
There's a chance things will turn wrong, my friend
Far too fast I'm losing ground
Well, let's face it here and now
You're not welcome you should know

I fear my heart and fear my soul
Life goes on it surely will
Without me it will wither
Will I ever see light again
Will I ever see light again
Oh life goes on

I don't wanna hold you
I don't wanna see you
My tear of joy turned into grief
(I don't wanna stand it anymore)

Down where I am that's where darkness rules
The silence shall be only friend."


Essa é fantástica. Cya.

sábado, 27 de junho de 2015

Verdades incontestáveis.

"A música é para a alma como as palavras são para a mente." - Modest Mouse.

Cya.

O que definiria?

"Eu precisava daquela luz pra ter a minha dose de escuridão. Precisava daquela companhia pra ter meu pedaço de solidão. Alguns sonhos e muitos planos que, no final das contas, tornaram-se tão grandes ao ponto de ser quase impossível pra qualquer areia do tempo ou roda da vida conseguir desmantelar. Era uma estrutura corpulenta que, mesmo esculpida e talhada em vidro, vivendo constantemente alvejada por ataques de grandes chuvas de pedras, nunca sucumbiu. A destruição um dia veio, e partiu do lado de dentro, sendo corrompida internamente como uma criatura que se contorce em gemidos de agonia engasgada com o próprio veneno, esvaindo-se em inúteis esforços pra manter-se presa a qualquer faísca de vida que aos poucos é roubada pelo ácido letal. Gritos e sufoco, tentativas aflitas de tomar algum fôlego antes que sua carcaça pereça e sua alma seja sugada pra profundidade do obscuro desconhecido. Para os que ficam, tudo o que se conhece por um longo período é apenas a morbidez e a tristeza de viver a cada dia se apoiando em uma estrutura falida, buscando uma desesperada maneira de emergir dos escombros apoiando pedras que não se encaixam e caem por terra frustrando toda e qualquer tentativa de buscar um novo caminho pra subir. Luz no fim do túnel não há, e companhia no corredor escuro e úmido? Quiçá."

Cya.

Savior.

"So tell me now
if this ain't love then how do we get out?
because I don't know
that's when she said 'I don't hate you boy
I just want to save you while there's still something left to save'
That's when I told her 'I love you girl
but I'm not the answer for the questions that you still have'" - Rise Against.

Cya.

As vantagens de ser um imbecil.

É obvio que, pra listar as vantagens de ser imbecil, nem tinta eu gastaria. Não existem vantagens. Dizia o poeta que "a ignorância é uma benção", faltou afirmar que a imbecilidade é um fardo. Posso até mesmo arriscar e ir além pra dizer que, o fardo é, na verdade, o próprio imbecil. Ele é um fardo pra si mesmo, pra segundos e terceiros, só tomando decisões estúpidas em momentos inoportunos, atitudes desnecessárias e conclusões inúteis. Se você é um imbecil, como eu, só lhe resta uma coisa: acordar e encarar todo dia os tapas na cara que você leva da vida sem nenhuma perspectiva de mudança ou evolução.

Reflexões baratas, cya.

sexta-feira, 26 de junho de 2015

Eu não me assusto mais.

Como já disse outras vezes, não compartilho o que penso pra contestar a opinião dos que pensam diferente. Compartilho para encontrar e amparar os que pensam como eu. Nessas horas descubro que, como no exemplo do texto abaixo, isso se faz verdade. Tudo o que você vai ler aqui ainda é passível de reflexão ou já se tornou assustadoramente clichê ao ponto de não nos assustarmos mais? Leia, cya.

"COMO É DAR AULA NO ENSINO SUPERIOR E A CORRUPÇÃO NA UNIVERSIDADE.

Pensei em escrever um texto crítico e formal a respeito da educação e da sociedade. Mas dizer que a educação é a salvação já ficou meio fora de moda. Portanto, acho melhor apenas contar pra vocês como é dar aula. Lembrando que este texto não é uma crítica à profissão. É apenas uma exposição das frustrações diárias e um apelo a uma mudança urgente de postura, não só dos alunos, mas da sociedade como um todo. Aqui mostro como a postura corrupta está enraizada nos alunos e já virou parte da comunidade acadêmica.

Antes, uma pausa para minha relação com a profissão. Particularmente, gosto muito de ensinar. Gosto de matemática e gosto de entender matemática. Passar adiante minhas paixões é algo que faço por amor. Nunca houve problema sério o bastante para não desaparecer diante do quadro, dos alunos e sobre o tablado. Dar aula e pensar a respeito de matemática apagam, momentaneamente, claro, todos os meus problemas.

“FAZ PROVA FÁCIL!”
Minha felicidade se esvai diante das avaliações, dos comentários, da falta de compromisso dos alunos. Ouve-se mais “alivia aí, fessô!” do que “bom dia”, “boa tarde” ou “boa noite.” Há liberdade para chorar, mas não há liberdade para a educação e cortesia.

“VALE PONTO, FESSÔ?”
Em sua maioria, aluno não faz nada sem receber algo em troca. E a moeda de troca é chamada de ponto. A única motivação é o ponto. Sugestão de livros? Só valendo ponto. Lista de exercícios? Só valendo ponto. Fazer pelo conhecimento é ser taxado de idiota.

TRABALHOS E LISTAS
Tudo copiado. A cópia é quase sempre nítida. Conjecturo que numa turma de k alunos, apenas realmente fazem os trabalhos, enquanto todo o restante apenas copia dos colegas.

Pai Rodrigo adivinhando o futuro: Esse aluno que só copia vai taxar de vagabundo moradores de rua. Vai dizer: “emprego tem demais, basta querer!”

AULAS DE EXERCÍCIOS
Durante aulas de exercícios, ninguém faz nada. O pedido geral é um resumão bem estilo pré-vestibular. Melhor ainda se você dar dicas do que cairá na prova (e pensar que nem assim os resultado são bons.) Gente pra gritar “faz um resumão aí, fessô!” Nunca falta. Você dá aula por meses antes de avaliação e aí lhe aparece vários que não prestaram atenção em nada, mas no dia da aula de exercícios eles aparecem lá só pra gritar a frase anterior ou pra escolher um exercício aleatório que sequer tentaram. Qual a razão de dar aula se no fim é dado um resumo mágico que abre todas as provas e desvenda todos os segredos?

LISTA DE PRESENÇA
Como aluno, confesso, nunca gostei de ir às aulas. Sempre preferi estudar sozinho. Assim poderia estudar durante a madruga, horário que sempre fui mais produtivo. Nunca tive problemas com chamadas. A aprovação era minha absolvição. Por conta disso, a única postura que adotei como professor foi a de passar uma lista de chamada e reprovar por infrequência apenas aqueles que não obtiveram 60 pontos. Ou seja, não precisou ir à universidade para ser aprovado? Parabéns, campeão.

A regra da UFMG é reprovar aluno infrequente. Tenha ele a pontuação necessária para sua aprovação ou não. Portanto, estou isentando o aluno de um dever: frequentar a universidade. Qual o resultado? Alunos assinam as listas pelos colegas. O sujeito foi livrado de um dever, mas ele não quer dar nada como contra-partida. Ele ainda quer o direito de, caso reprovado na pontuação, fazer o exame especial.

Nem vou comentar que assinar um documento em nome de outra pessoa é crime. Tem até nome: falsidade ideológica.

Logo, se o professor deseja ser rigoroso com a lista de presença, ele deve chamar nome a nome, como lá nos tempos da escolinha infantil Girafinha Feliz.

Pai Rodrigo adivinhando o futuro: Esse mesmo aluno que pede pro colega assinar a chamada, acha um absurdo o médico que só bate ponto e vai embora. Vai reclamar também do deputado que estava batendo dedo lá pro outro. Vai postar lá na timeline “É um absurdo!”

PROVAS E COLAS
Esta é a pior parte e a maior prova de que ninguém se preocupa com educação. Durante os meses de aula, o aluno não fez nada. Porém, chegada a prova, não foi possível estudar todo o conteúdo ou simplesmente não estudou mesmo. Qual o recurso utilizado? Cola. A pessoa não cumpriu com suas obrigações como aluno, nada fez até o momento da prova, porém ele ainda quer obter bom resultado. Apesar de totalmente irresponsável, o aluno ainda acha plausível apelar para a cola. Ainda quer uma boa nota. Isso é o absurdo dos absurdos. A incoerência da incoerência.

Existem ainda casos mais absurdos. Aqueles que os alunos pagam outros para fazer a avaliação em seus lugares (preciso lembrar que aqui também se comete crime?). Chegamos ao ponto ridículo de precisar olhar documento dos próprios alunos por conta dessa atitude patética. Isso é literalmente comprar o próprio diploma. É ridículo querer o diploma mas não querer fazer nada.

Pai Rodrigo adivinhando o futuro: O aluno colador, que hoje é engenheiro porque pagou gente mais esperta que ele pra se formar, vai gritar “Abaixo a corrupção!” aqui na porta de casa. Ele também vai compartilhar um monte de reportagem sobre escândalos de corrupção e vai dizer que esse país não tem jeito.

O ALUNO, O PATRÃO E O FUTURO
Enquanto considerou coisa de otário estudar quatro horas por dia, o aluno corrupto vai gastar 12h do seu dia, muito possivelmente, fazendo dinheiro pra outra pessoa. Ele não vai chegar pro chefe “alivia aí, chefe!”, “quebra essa aí, patrão!” porque ele sabe o destino de empregado molengão: rua. E ele vai dar duro, porque, ao contrário da educação superior, valoriza o emprego que tem. Sua timeline estará repleta de links contra a corrupção na política, contra desvio de verbas, enquanto continua perpetuando que colar não tem problema, assinar lista é “de boa” e pagar para fazerem suas avaliações é coisa de esperto. E assim continuaremos sendo essa sociedade que ainda não entendeu o valor moral e intelectual da universidade, pelos séculos dos séculos…" - Profº Rodrigo Ribeiro.

Em: "https://rbribeiro.wordpress.com/2015/06/24/como-e-dar-aula-no-ensino-superior-e-a-corrupcao-na-universidade/

quarta-feira, 24 de junho de 2015

Frio e calculista.

"Analiso as coisas minuciosamente.
Nunca me exalto.
Não me sinto ofendido facilmente.
Penso sempre muito bem antes de agir.
Nunca respondo perguntas que possam me comprometer.
Não gosto muito de calor.
Não choro, ou pelo menos nunca em público.
Procuro adaptar a minha personalidade a cada pessoa que conheço, para um melhor relacionamento e interação.
Daqui 10 anos vou lembrar de coisas que você já esqueceu.
Não esqueci, não esquecerei e me vingarei.
Quando não se trata de vingança são negócios;
Quando não são negócios é diversão.
Eu nunca perco.
Na hora certa você vai entender.
Sou frio e calculista,
e pra mim isso tudo não passa de um jogo de xadrez, onde eu já previ os próximos 25 lances."

Não lembro de onde é a frase, mas ela definitivamente representa. Cya.

segunda-feira, 22 de junho de 2015

Verdades incontestáveis.

"Não posso lhe dar a fórmula do sucesso, mas a do fracasso é querer agradar a todo mundo." - John F. Kennedy.

Cya.

sábado, 20 de junho de 2015

Impossibilidades.

"(...) Pois não dá pra encontrar conforto em outro lugar que não seja aqui, dentro de mim, sem ninguém."

Cya.

sexta-feira, 19 de junho de 2015

Familiar taste of poison.

"I tell my self
That you're no good for me
I wish you well
But desire never leaves
I could fight this til the end
But maybe I don't wanna win

I breathe you in again
Just to feel you
Underneath my skin
Holding on to
The sweet escape
Is always laced with a
Familiar taste of poison

I don't wanna be saved
I don't wanna be sober
I want you on my mind
In my dreams
Behind these eyes
And I won't wake up
No, not this time."

Cya.

domingo, 14 de junho de 2015

O poder da conquista.

Não, o título não é tão sugestivo quanto parece, não é sobre conquistas amorosas. É mais do que isso. É uma reflexão, uma abordagem geral do quão gratificante são os momentos em que nós olhamos pra trás e analisamos todo o caminho que percorremos até conquistarmos alguma coisa. Obviamente que tudo que vem fácil é muito bem vindo, mas vencer nunca é o mesmo sem enfrentar o tempo que tudo leva pra acontecer, o pessimismo quando as coisas parecem não dar certo, as barreiras que aparecem no caminho e até a conspiração do universo pra que tudo dê errado. Nada do que vem fácil tem o mesmo sabor de quando se faz necessário ser otimista, perseverar, lutar, acreditar até o fim, quando ninguém mais tem esperança. Seja nas coisas simples e nas complexas, nas fáceis ou nas difíceis, nas rápidas ou nas vagarosas, confie no valor da sua luta, na força dos seus braços e no poder da sua mente. Valorize suas conquistas, e valorize mais ainda a caminhada até elas. Já dizia o poeta que "nenhuma causa é perdida quando ainda há um tolo que lute por ela".

Sem ter um porquê, cya.

"Awake and unafraid, asleep or dead."

"I am not afraid to keep on living
I am not afraid to walk this world alone
Honey, if you stay, I'll be forgiven
Nothing you can say could stop me going home

These bright lights are always blinded to me." - Famous Last Words, MCR.

Cya.

terça-feira, 9 de junho de 2015

Reflexão.

''Astronauta tá sentindo falta da Terra?
Que falta que essa Terra te faz?
A gente aqui embaixo continua em guerra
Olhando aí pra lua implorando por paz
Então me diz: por que é que você quer voltar?
Você não tá feliz onde você está?
Observando tudo a distância
Vendo como a Terra é pequenininha
Como é grande a nossa ignorância'' - Gabriel, O Pensador e Lulu Santos.

Cya.

domingo, 7 de junho de 2015

sexta-feira, 5 de junho de 2015

Reflexões baratas.

O maior mal da humanidade? Não sei, mas um dos principais concorrentes ao cargo é o ser humano achar que: "se não é do jeito que eu ACHO que tá certo, então tá errado!". Abrir a cabeça pra pontos de vista e perspectivas diferentes é mais saudável do que parece, a saúde mental da sociedade agradece. Já diziam os chineses que, se o vento sopra só de um lado, a árvore cresce torta.

Cya.

terça-feira, 2 de junho de 2015

"Culpar o mundo inteiro nunca vai te fazer mais forte."

"If you blame all your failures on someone else
Without any remorse
If you don't face the weakness of your own self
You will take the same course.

Tia Simons e tio Jansen sabem das coisas. Cya.

Minha mente no espelho.

Possuir um senso crítico aguçado ou ser um contestador de grandes verdades sempre foi um incomodo "impertinente" pras relações sociais, e eu sempre achei isso fantástico, principalmente na sociedade moderna onde existem meios mais diretos de expor o que você pensa ou o porque de discordar das coisas. Acho que, no final das contas, não existe certo ou errado, nunca importa realmente se você defende batatas ou repolhos, quando o importante mesmo é ter algo no que acreditar e procurar a melhor base pra defender seu argumento. A única coisa que realmente me deixa com o cachorro - e não só uma pulga - atrás da orelha é porque, mesmo com o acesso a tantos meios de acesso às informações, as pessoas cada vez tentam entender menos os porquês, descobrir, contestar, aprender, buscar. Eu mesmo já disse aqui que "quanto mais burro se é, mais burro se pretende ficar" e também que o que vale à pena é a busca pela verdade velada e não pelas certezas baratas, e tenho até no título do blog estampado o meu amor pela busca do conhecimento, mas insisto, eu juro que queria entender o porquê do conforto da ignorância conformada. Talvez eu seja o louco, talvez eu esteja errado.

Como é de praxe: sempre confuso, nunca sem sentido. E claro, cya.

Deserto frio, solitário, escuro...

"I'm on the corner, waiting for a light to come on
That's when I know that you're alone
It's cold in the desert, water never sees the ground
Special unspoken without a sound

You told me you loved me, that I'd never die alone
Hand over you heart, let's go home
Everyone noticed, everyone has seen the signs
I've always been know to cross lines

I never ever cried when I was feeling down
I've always been scared of the sound
Jesus don't love me, no one ever carries my load
I'm too young to feel this old

Here's to you
Here's to me
On to us nobody knows
Nobody sees
Nobody but me."

domingo, 31 de maio de 2015

Como sempre... é.

"A vantagem de ser inteligente é que podemos fingir que somos imbecis, enquanto o contrário é simplesmente impossível." - Woody Allen.

Cya.

quarta-feira, 27 de maio de 2015

"O batedor."

"Já vi muitas analogias para a vida (trem, túnel, casa...), mas teve uma que me chamou realmente a atenção. A vida também pode ser considerada como uma escada que cresce ora em espiral, ora em linha reta. Os patamares são como nossa estabilidade momentânea, quando pensamos que finalmente a vida será calma. Mas vida é movimento, é ação, é entusiasmo e cansaço, e infelizmente decepção também. Quando ela está em espiral significa que apenas subimos sem a consciência do que pode vir à frente, parte esta que inicia nossa jornada rumo ao topo quando somos relativamente novos. Um tropeço nesse estágio significa muito mais machucados e dor, e torna o retorno mais árduo. Em linha reta podemos ver o que está a frente, significa que já temos conhecimento para seguir com menos erros, e, mesmo ocorrendo quedas, essas são menos doloridas e mais fáceis de se retornar. Algumas pessoas conseguem continuar subindo até o fim da vida, e mesmo com o peso da idade não se importam em continuar trilhando sua trajetória. Outras, quando jovens, cansam logo nas primeiras quedas, desistem e permanecem ali, caídas ou simplesmente debruçadas sobre o patamar que às apoia, já sujo pelo tempo. Destes, alguns ainda tomam a coragem de repensar seus erros, e recomeçar a jornada, e vão até o fim. Outros, após pouco andar, novamente param para descançar e ali permanecem pois não confiam em si mesmos e pensam ser muito árduo o trajeto.
Muitas outras analogias são possíveis, cada uma com seu ponto de vista, mas como dito acima vida é movimento, e devemos assim mantê-la. Aprender é o príncipio e agir é a finalidade. Boa sorte na subida." - Giovane Patias (R.I.P.)

Cya.

segunda-feira, 25 de maio de 2015

Só isso.

"Excesso de expectativa é o caminho mais curto pra frustração" - Martha Medeiros.

Cya.

Só mais uma perspectiva.

"Some people believe in god, I believe in music. Some people pray, I turn up the radio."

Cya.

"Thirty seconds to..."

"I don't remember the moment I tried to forget
I lost myself is it better not said
Now I'm closer to the edge."

Cya.

domingo, 24 de maio de 2015

sexta-feira, 22 de maio de 2015

A síndrome dos 20 e tantos.

"Você começa a se dar conta de que seu círculo de amigos é menor do que há alguns anos. Dá-se conta de que é cada vez mais difícil vê-los e organizar horários por diferentes questões: trabalho, estudo, namorado(a) etc. E cada vez desfruta mais dessa Cervejinha que serve como desculpa para conversar um pouco.
As multidões já não são ‘tão divertidas’, às vezes até lhe incomodam.
Mas começa a se dar conta de que enquanto alguns eram verdadeiros amigos, outros não eram tão especiais depois de tudo.
Você começa a perceber que algumas pessoas são egoístas e que, talvez, esses amigos que você acreditava serem próximos não são exatamente as melhores pessoas. Ri com mais vontade, mas chora com menos lágrimas e mais dor. Partem seu coração e você se pergunta como essa pessoa que amou tanto e te achou o maior infantil, pôde lhe fazer tanto mal. Parece que todos que você conhece já estão namorando há anos e alguns começam a se casar, e isso assusta!
Sair três vezes por final de semana lhe deixa esgotado e significa muito dinheiro para seu pequeno salário. Olha para o seu trabalho e, talvez, não esteja nem perto do que pensava que estaria fazendo. Ou, talvez, esteja procurando algum trabalho e pensa que tem que começar de baixo e isso lhe dá um pouco de medo.
Dia a dia, você trata de começar a se entender, sobre o que quer e o que não quer. Suas opiniões se tornam mais fortes. Vê o que os outros estão fazendo e se encontra julgando um pouco mais do que o normal, porque, de repente, você tem certos laços em sua vida e adiciona coisas a sua lista do que é aceitável e do que não é. Às vezes, você se sente genial e invencível, outras… Apenas com medo e confuso.
De repente, você trata de se obstinar ao passado, mas se dá conta de que o passado se distancia mais e que não há outra opção a não ser continuar avançando. Você se preocupa com o futuro, empréstimos, dinheiro… E com construir uma vida para você. E enquanto ganhar a carreira seria grandioso, você não queria estar competindo nela.
O que, talvez, você não se dê conta, é que todos que estamos lendo esse texto nos identificamos com ele. Todos nós que temos ‘vinte e tantos’ e gostaríamos de voltar aos 15-16 algumas vezes. Parece ser um lugar instável, um caminho de passagem, uma bagunça na cabeça…
Mas TODOS dizem que é a melhor época de nossas vidas e não temos que deixar de aproveitá-la por causa dos nossos medos… Dizem que esses tempos são o cimento do nosso futuro. Parece que foi ontem que tínhamos 16…
Então, amanha teremos 30 assim, tão rápido?" - Achei na página do Ivo Mozart, só não sei se é dele mesmo. E independente de quem tenha feito, fez muito bem!

Cya.

Eternamente responsável.

"Você é livre para fazer suas escolhas, mas escravo das consequências." - Pablo Neruda.

terça-feira, 12 de maio de 2015

Atirar nas janelas.

"Para que o novo nasça é preciso que se destrua o antigo."

Profuno e pertinente, cya!

terça-feira, 28 de abril de 2015

É...

"É preciso rir logo de tudo antes que nos obriguem a chorar" - Beaumarchais.

Cya.

segunda-feira, 27 de abril de 2015

Licença - e dívida - poética!

"Sensibilidade é a música, a poesia e o desenho que foi visto pela alma, pensado pelo coração, transpirado pelas mãos e transformado em paixão."

Cya.

Das verdades incontestáveis.

"Que os vossos esforços desafiem as impossibilidades, lembrai-vos de que as grandes coisas do homem foram conquistadas do que parecia impossível." - Charles Chaplin.

Começar toda semana fixado em um ideal é fácil, eu quero ver manter o mesmo foco até o final dela. Cya.

segunda-feira, 13 de abril de 2015

"No meio dessa confusão não consigo encontrar ninguém."

Estar sozinho no meio da multidão é uma das situações mais angustiantes. Figurativamente, claro.
Cya.

Por que escrever, afinal?

"Por que escrever, afinal? Ora, por escrever, ou por mil motivos que explodem na mente dos que escrevem! Mas também para ser, para se encontrar, para concretizar com letras alguns pedaços de alma – isso metaforicamente falando, quero dizer pedaços de uma essência mental que chamo de alma, pois não acredito em almas do ponto de vista espiritual ou qualquer coisa do tipo – para me guardar em palavras e depois me reencontrar, lembrar como pensava antes, repensar textos antigos, para desenhar minha visão, talvez. Desenhar a alma com letras. Escreve-se para existir, para desenvolver os pensamentos e conversar com o próprio texto, de forma que ele vai se desenrolando, vindo de um infinito de ideias que nem era visível antes de se iniciar um texto. É uma forma de conversar consigo mesmo, talvez, se usar palavras como lanternas para iluminar os labirintos da própria existência – ou construir o caminho desta.

Escrever é essencial para alguns, quando se sente transbordar de ideias, inspirações únicas. Ou, simplesmente, transbordar até de ego, talvez, quando o texto vira um espelho para o narcisismo de seu autor, que não cansa de relê-lo e admirar – maquiando sem parar com vírgulas, novos pontos, cortando palavras que sobraram ou pintando-o com palavras que faltavam. E quando se consegue ler um texto próprio, e depois de lê-lo e relê-lo mil vezes, não achar mais nada que queira mudar nem em uma meia vírgula sequer, aquele texto vira a mais perfeita e esplêndida pintura de seus pensamentos, lapidados com o maior afinco e perfeccionismo.

E o que se pode fazer depois de conseguir produzir um texto assim? Publicá-lo? Talvez, mas uma ideia melhor, talvez insana, mas mais original e definitivamente deslumbrante me ocorre. Não exatamente uma ideia, mas na verdade um impulso, um ímpeto doentio e obcecado: vontadese transformar naquele texto e então morrer naquele texto, fazer daquelas letras meu caixão, meu cemitério, de usar aquelas vírgulas como punhais para um suicídio linguístico e inovador. Se bem que não é só com textos próprios que sinto isso, é algo que ocorre com textos dos maiores mestres da literatura frequentemente, ou com músicas ou filmes ou outras obras de arte absolutamente geniais.

Enfim, tal ideia me perseguia por dias, até que dei início à escrita desse texto. Decidi testar se era possível morrer em um texto. “Como isso poderia ser possível?” – perguntaria qualquer ser humano sensato o suficiente. Simples: morro todos os dias; de formas diversas me assassino em silêncio, mas, dessa vez, resolvi morrer em um texto. Se vou me matar mais uma vez, por que não transformar tal ato em arte pelo menos e transbordar a existência em palavras?

Claro que digo morrer de maneira a continuar organicamente respirando, mas de uma forma que a existência inteira vire nada mais além do que vejo nesse espelho de palavras. Até que a escuridão do mundo ao redor desapareça por completo, assim como essas letras, pois olho nos olhos delas e lá me vejo, me encontro e me esqueço de vez. Até que tudo enfim desaparece por completo, evanescendo sob sombras disformes que surgem como nuvens de inexistência."

"Escrevendo Pedaços de Alma", por Amanda Leonardi em: http://literatortura.com/2015/04/escrevendo-pedacos-de-alma/

When you gonna wake up and fight for yourself?

"I created the sound of madness and wrote the book on pain and somehow i'm still here to explain."

SoM. Cya.

Tudo é questão de perspectiva.

Todas as pessoas têm seus problemas, das mais diversas maneiras e gravidades. O otimismo e pessimismo delas pra encarar cada um deles vai da perspectiva com que as mesmas os enxergam. Mas um fator definitivamente mais efetivo na maneira com que os problemas as afetam é outro: a questão tá na aptidão da cabeça de cada um de lidar com tais atribulações. Por isso tantas lidam com elefantes como se não fosse nada e outras "morrem" por causa de camundongos.
Absurdamente óbvio mas acho que vale a reflexão. Cya.

quinta-feira, 19 de março de 2015

F. já previu.

Em suma, a angústia pode ser definida como saudade, ou "a falta ou ausência do objeto". Isso vai além quando o objeto em questão é você mesmo.

Cya.

quinta-feira, 12 de março de 2015

É tudo.

"Let me apologize to begin with
Let me apologize for what I'm about to say
But trying to be genuine
Was harder than it seemed
And somehow I got caught up in between

Let me apologize to begin with
Let me apologize for what I'm about to say
But trying to be someone else
Was harder than it seemed
And somehow I got caught up in between

Between my pride and my promise
Between my lies and how the truth gets in the way
The things I want to say to you
Get lost before they come
The only thing that's worse than one is none".

Esse Shinoda e sua incrível capacidade de me entender. Cya.

quarta-feira, 4 de março de 2015

Mito.

"Há uma força motriz mais poderosa que o vapor, a eletricidade e a energia atômica: a vontade!" - Albert Einstein.

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Freud explica.

"Antes que você seja diagnosticado com depressão ou baixa autoestima, primeiro certifique-se de que, na verdade, não esteja cercado por idiotas." - Sigmund F.

Cya.

terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

Nem precisa de título.

"Fomos reprimidos
Fomos enganados
Somos os seus erros
Estamos revoltados

Somos piores do que dizem que somos
Somos loucos, insaciáveis
Somos feios pra caralho
Nós não vivemos de aparência
Podemos subornar nossa própria consciência."

Cya.

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Let's sing the bard's song.

"In my thoughts and in my dreams
They're always in my mind
The song of hobbits, dwarves and men
And Elves
Come close your eyes
You can see them too."

Cya!

segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

domingo, 4 de janeiro de 2015

Verdades incontestáveis.

"Gostar é provavelmente a melhor maneira de ter, ter deve ser a pior maneira de gostar." - Saramago.

Crer é duvidar.

Quanto mais respostas você busca, mais perguntas vão surgir. Quem permanece na incessante busca pela verdade velada é quem melhor se sai, é o melhor jeito de se aventurar contra as ironias e os dilemas que a vida te propõe. Encare - seja lá o que for - com a cabeça erguida e o olhar preso no horizonte.

Cya.

Primeiro do ano.

"Eu sou o que você mais teme, eu sou o que você precisa, eu sou o que você me fez.
Eu não serei esquecido, essa é minha hora de brilhar.
Eu tenho as cicatrizes pra provar isso, só os fortes sobrevivem.
Eu não tenho medo de morrer, todo mundo tem seu tempo,
aqui a fraqueza não tem vez".

Mensagem apropriada porque a largada foi dada, 2015 já tá aí e tem tudo pra ser um ano bom.

Cya.