domingo, 29 de dezembro de 2013

"Why does my pain look like my pride?"

"Standing alone with no direction;
How did I fall so far behind?
Why am I searching for perfection?
Knowing it's something I won't find.

In my fear and flaws;
I let myself down again;
All because;
I run 'til the silence splits me open;
I run 'til It puts me underground;
'Til I have no breath and no roads left but one.

When did I lose my sense of purpose?
Can I regain what's lost inside?
Why do I feel like I deserve this?
Why does my pain look like my pride?"

Cya.

sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

O ciclo de um círculo vicioso.

Final de ano. Arrependimentos. Promessas. Objetivos. Começo de ano. Fracassos. Desistências. Fim de ano de novo. Arrependimentos, promessas, objetivos, e por aí vai. De novo. E de novo... Tudo o que você vê são pessoas agradecendo pelo ano que passou, sendo que nem metade do que elas colocaram como objetivo no começo do mesmo elas correram atrás, ou seja, elas agradecem por coisas que não aconteceram, tanto esforço gasto em planos, nenhum usado em realizações. Daí, elas se arrependem por não terem feito e prometem que "agora vai!". E já logo no começo essa vontade desaparece, o fracasso fica iminente e elas desistem, as vezes, até antes de tentar.
Admito a minha hipocrisia, porque tudo o que acabei de falar era o que eu iria fazer. Ainda em tempo, mudei minha opinião. A vida se constrói com metas planejadas, mas acho que esses planos também são eficazes quando feitos de última hora, quando o improviso faz o esforço valer a pena. O mais importante, na verdade, é preparar o solo, afinal quando as sementes vierem elas vão achar o lugar certo pra florescer e dar frutos.
Eu desejo nesse final de ano que você, que eu, que nós todos apenas aprendamos deixar de lado o "existir", e que o único objetivo pro começo do próximo é não perder a coragem de realmente viver, de estar preparado pra agarrar toda oportunidade e toda coisa boa que aparecer. Sem tantos planos, sem tantas metas, só traçando riscos sem régua, tendo força pra fazer com que todos saiam retos.

Cya, e um próspero ano novo pra todos nós.

terça-feira, 24 de dezembro de 2013

"A vida não é justa."

É sempre o que dizem os pais, avós, tios, amigos, filmes, letreiros, livros, histórias e enfim. De todas essas fontes que eu mencionei, pelo menos uma vez na vida, você ouviu uma reflexão como essa aí do título. Quanto mais os dias passam, mais isso se concretiza, e infelizmente, um dia eu vou ser um pai, um avô, um tio, um amigo que vai dizer isso pro meu filho, pro meu neto, pro meu sobrinho, pra um amigo. É dispensável citar exemplos aqui, acho que cada um vai pensar nos seus próprios, cada um tem sua visão singular, mas com uma conclusão em comum.
Contudo, o certo se faz sempre necessário, mesmo que no final de tudo você não receba nenhuma recompensa, nenhum reconhecimento, e ainda acabe se fodendo - é uma espécie de bônus. A consciência limpa e algumas cicatrizes são, no final de tudo, o que resta na pele por ter tentado viver a vida, dançando no ritmo que ela dita.

Confuso, redundante, até idiota as vezes, mas jamais sem sentido. Cya...

quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

Projeto de um futuro bom.

Com esse fim de ano, a época de natal chegando, todo esse cheiro de espírito altruísta que o ser humano finge muito bem que existe exala no ar. Pessoas agradecendo pelas conquistas alcançadas em 2013, prosperando coisas boas pra 2014, buscando construir novos planos, alcançar velhos objetivos... É bonito de ver. Amigos se unindo, famílias se reunindo, e toda uma imagem de que tudo tá bem. Quiçá toda essa ilusão se concretize, e que nesse novo ano que se aproxima as pessoas realmente percebam o significado de tudo isso. Que todas elas percebam que tudo vai parecer melhor quando os valores aplicados nesse nascimento de um menino fictício sejam aplicados também no cotidiano e na vida de cada um o ano inteiro.

Devaneios utópicos, cya.

sábado, 30 de novembro de 2013

"I feel alive!"

"I wake every morning up bright and early
Roll out of bed but I'm never quite alone
Tension is pulling me in all directions
And I'll be done once you use me as a rope
Sometimes the pressure will just drive you crazy
At any time I could explode
I need some piece of mind, its got me tired
Don't wanna lose it, but I'm turning down that road

I need a moment 'cause I've dragged myself to thin
We all need a moment in our lives
Works hard, the days too long
And thats just where it begins
Tension has had us all this time."

Cya.

terça-feira, 26 de novembro de 2013

"I don't wanna be an angel, I just wanna be GOD!"

"They called us a dead generation
They told us that we wouldn't survive
They left us alone in the maelstrom
As you can see we're all plenty alive
We know where you are and we're coming
Let's see you say that shit to our face
30/30-150 remembers and 30/30-150 hates."

Cya.

sexta-feira, 11 de outubro de 2013

"Onde os valores apodrecem na miséria."

É cansativo ter 20 anos e ser já um velho chato, ranzinza e implicante com tudo e com todo mundo, não é fácil. E eu sinceramente não queria que isso acontecesse, ou que eu pudesse adiar ao máximo essa situação, mas eu insisto, não é fácil. Ainda mais porque a credibilidade de um cidadão com a minha pouca experiência - pelo menos na teoria - não é das mais altas pra ter tanta opinião formada e tanta crítica na ponta da língua. Mas eu já vi e vivi bastante coisa, já errei muito e já procurei acertar bem mais, pra me tornar quem eu me tornei hoje, um cara diferente de quando tinha 19, muito diferente de quando tinha 18 e, absurdamente outra pessoa desde que eu tinha 17, e assim sucessivamente. Tudo isso é resultado de aprendizado, com as minhas falhas ou as dos outros, isso não importa, o que vale mesmo é sugar violentamente tudo o que é bom de cada experiência, sendo ela boa ou ruim, sendo ela particular ou alheia. E é isso que vai fazer a diferença pra eu ser um cara melhor quando tiver 21, e se possível mais ainda com 22. Eu tive tempo de reparar as falhas de caráter, as infantilidades, os sentimentos triviais e as emoções fúteis... Tive tempo de me preparar pra ser a mudança que eu quero ver nas coisas, pra ser sempre o melhor que eu possa ser nesses anos que hão de me engolir.
Por mais cansativa e redundante que essa reflexão tenha sido, não é ainda o assunto principal. O que me entristece e me enche o coração de amargura é que eu gostaria muito que quando eu dissesse que ando no caminho contrário ao do mundo, eu estivesse fazendo a coisa errada. Hoje, com 20 anos, eu me tornei crítico, ranzinza, chato, implicante e um pé no saco porque eu cansei. Cansei de ver as pessoas atropelando valores e bons costumes, só conhecendo a ganância, o egoísmo, o egocentrismo, esquecendo do amor, da amizade, da compaixão, do altruísmo; cansei de ver as pessoas cada vez mais afundadas em álcool, drogas e assistir elas se perdendo cada vez mais; cansei de ver que cada dia o mundo dá um passo a mais em direção a sua ruína, sua destruição, entrando numa, eh, como posso dizer? "Era das máquinas", esse pode ser um termo apropriado. E não, eu não to falando sobre avanços tecnológicos e essa porcaria toda de modernidade... eu falo sobre pessoas se tornando objetos, se tornando alienados, sem bom senso, sem caráter, sem opinião, sem cérebro, e sem coração.

Sempre confuso, jamais sem sentido, que fique a dica aí. Cya.

quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Profundo.

"Meu suicídio diário não é uma forma de morrer. É uma tentativa desesperada de encontrar essa vida, testar minha capacidade de quase ir e voltar, descobrir se eu mereço estar aqui e se existe mesmo um deus. Afinal, ele concorda ou não com a minha maneira de encarar as coisas? Por que não me castiga por ser tão estupidamente desapegada? É minha necessidade de viver que me mata." - Verônica H.

Cya.

quarta-feira, 9 de outubro de 2013

Só pra constar...

Eu me permito esses hiatos sem postagem alguma no blog, meus vários leitores me permitem esse luxo, é claro. E eu realmente queria que fosse uma simples falta de idéias, ou falta de inspiração, o que é impossível pra mim. Na minha cabeça só existem esses pensamentos de crítica (construtivas, é claro) ou essas reflexões baratas, cretinas, confusas - e admito, até clichês. O que me faz falta as vezes é a maneira certa de vomitar as palavras pelos dedos, e por mais ácida que essa expressão possa ser e parecer, é a mais verdadeira possível.

Cya.

terça-feira, 10 de setembro de 2013

O temor do sábio.

"“Lembre-se de que há três coisas que todo sábio teme: o mar na tormenta, uma noite sem luar e a ira de um homem gentil.”

E não é? Cya.

"O verdadeiro objetivo da guerra é a paz."

Foi o que disse Sun Tzu, há milhares de anos atrás. E você, dessa geração de merda aí que se diz evoluída e moderna, levanta essa bunda gorda e fedida da cadeira e vai ser a mudança que você quer ver nas coisas, menos mimimi e mais ação, vai atrás de ser bom e fazer o bem, porque enquanto você tá sendo filho da puta agora tá beleza, mas uma hora tudo volta pra você. Se você faz o que é certo, pode apostar que tudo vai voltar pra você também, na medida ou até dobrado.

Cya de cu é rola.

segunda-feira, 19 de agosto de 2013

Toda experiência é uma experiência.

A vida é curta e tudo é aprendizado, e os mais importantes são os erros que são resultado das tentativas de acertar. Nem sempre é possível correr atrás do prejuízo, mas sempre é tempo de fazer a coisa certa...

Cya.

Tristeza.

"A tristeza é como um chiclete: você precisa mastigar, mastigar e mastigar até que tudo vire uma bola sem cor e sem gosto, que não tenha mais sentido nenhum de manter na boca, e que você possa simplesmente cuspir."  - Tudo o que é sólido pode derreter.

Cya.

quarta-feira, 7 de agosto de 2013

A chave para a felicidade.

Provavelmente quem vê esse título vai pensar que se trata de uma poesia, uma música, uma frase, uma idéia produtiva... É porque pra uns, a chave é família, outros acham que é amor, ou amizade, ou realização profissional, e até os que acham que é o dinheiro. Sabe o que eu acho? Foda-se. É, essa é a chave pra felicidade...

Fica a dica aí, com aquele ar de conselho. Cya!

sábado, 13 de julho de 2013

O certo pelo certo.

"Viva como se fosse morrer amanha. Aprenda como se fosse viver para sempre." - Mahatma Gandhi.

Cya.

quarta-feira, 10 de julho de 2013

Simples.

"All the great things are simple, and many can be expressed in single words: freedom, justice, honor, duty, mercy, hope." - Winston Churchill.

Cya.

terça-feira, 9 de julho de 2013

sábado, 29 de junho de 2013

Conhecer o que você conhece.

As pessoas são tão acostumadas com a mentira e com a ilusão que não reconhecem uma verdade quando ela aparece. Eu reconheço e, por serem tão poucas, eu agarro e não solto jamais.

"But once I hold on, I won't let go 'til it bleeds."

Cya.

quarta-feira, 26 de junho de 2013

O fogo nosso de cada dia.

Eu decidi que o que eu iria abordar aqui nesse texto seria uma lição que eu aprendi: as consequências das escolhas que cada um faz na vida, e isso abrange muita coisa. Não é uma lição básica, nem rápida. Não é nada repentino, e sim gradativo. Algo que é sutil e doloroso ao mesmo tempo, como um veneno. E é incrível que nesse caso, o termo "veneno" não é forte, tampouco inapropriado, afinal as pessoas sofrem demais até enxergar que é você mesmo o dono do seu caminho, o dono das suas escolhas e de cada passo que você traça na vida. Não existe um "livro da vida", nem intervenção divina; não existe destino escrito nas estrelas; muito menos um universo paralelo onde tudo já aconteceu e te prendeu á um desfecho inevitável.
Aprendi que existe força de vontade e fé naquilo tudo que você é e naquilo que você acredita, pra tomar cada decisão e seguir cada caminho, caindo e levantando todo dia, mas sabendo que é você o responsável por cada vez que você foi derrubado e ficou no chão, e por cada vez que você levantou a cabeça, se apoiou nos joelhos e disse pra você mesmo que a sua força ninguém tira.

"O destino é como o fogo: ele te esquenta ou te machuca, só depende da maneira com que você lida com ele." - Provérbio chinês.

Sempre confuso, jamais sem sentido... Cya.

"Só passando por aqui."

Eu não queria que completassem 30 dias sem que eu voltasse a escrever qualquer coisa aqui. Nunca me faltou o que escrever, faltou é vontade. Não por preguiça, mas sim porque esse blog lida com vários sentimentos particulares e alheios, tem muita coisa por trás disso tudo que é escrito aqui, e muito mais por trás de cada significado de cada palavra, de cada peculiaridade presa em cada frase.

Cya.

segunda-feira, 27 de maio de 2013

FAQ.

Já vieram me perguntar duas coisas com uma certa frequência que achei que seria necessário um esclarecimento: o porquê de tantos trechos de músicas, poesias, textos e pensamentos; e o porquê dos meus textos não serem estruturados de acordo com a norma culta e formal da língua portuguesa, levando em conta que eu "escrevo tão bem" (?), como me disseram quando me passaram a dúvida.
Primeiramente, como músico, concordo completamente com a história de que a música é a voz da alma. Não só na melodia, mas na letra também. Muita coisa que alguém já pensou, uma ideia que lançou, uma reflexão qualquer que seja, pode ser interpretada de inúmeros jeitos pelo receptor daquela mensagem, contando uma história diferente pra cada pessoa. Ou seja, muitos desses caras que eu considero ídolos e julgo pessoas inteligentes ou entendidas de alguma coisa são dignos de ter a sua música como um canal aqui no blog, expressando muitas das coisas que eu penso ou sinto, ou até mesmo quando têm essa liberdade de deixar que cada um veja aquilo da maneira que quer ver, fazendo desse significado híbrido uma coisa com sentido pra quem sente a necessidade de entender aquela mensagem, sendo praticamente um "dogma poético". É como já disse Nietzsche: "Sem música, a vida seria um erro".
O segundo assunto é bem simples, como já havia dito em um post antigo, vejo o blog como um diário. Não da maneira como fiel confidente, onde eu poderia escrever sobre os meus problemas cotidianos. É um lugar pra eu falar sobre os meus pensamentos, as minhas idéias e expor livremente, da maneira como elas vêm na minha cabeça. É onde eu fujo de todas as obrigações formais e os cabrestos acadêmicos, onde eu faço daqui o lugar que eu quero que seja. Mesmo que ninguém leia, mesmo que ninguém goste, é assim que elas vêm, é assim que elas são, e é assim que eu sempre vou expo-las: cruas.

Cya.

"Acordar pra realizar o sonho é a ciência."

"Direcione sua visão para o alto, quanto mais alto, melhor. Espere que as mais maravilhosas coisas aconteçam, não no futuro, mas imediatamente. Perceba que nada é bom demais para você. Não permita que absolutamente nada te impeça ou te atrase, de modo algum. Você é tão poderoso e forte quanto você se permite ser, a parte mais difícil de qualquer empreendimento é dar o primeiro passo, tomar a primeira decisão. Consulte não a seus medos mas a suas esperanças e sonhos. Pense não sobre suas frustrações, mas sobre seu potencial não usado. Preocupe-se não com o que você tentou e falhou, mas com aquilo que ainda é possível a você fazer. Termine cada dia e esteja contente com ele. Você fez o que pode. Amanhã é um novo dia; comece-o bem e serenamente com um espírito elevado demais para ser incomodado pelas falhas do passado.
Disseram: que vença o melhor! Gostei, me identifiquei."

Cya.

Frio e calculista.

"Não esqueci, não esquecerei e me vingarei. Quando não se trata de vingança, são negócios; quando não são negócios, é diversão. Pra mim, isso tudo não passa de um jogo de xadrez onde eu já previ os próximos 25 lances."

Cya.

quarta-feira, 22 de maio de 2013

"Acredito que vai ficar tudo bem."

"Quando não tenho mais pra onde ir
E no meu céu não tem mais estrelas
Aonde foi parar a coragem?
Tô cansado mas não desisto."

Sempre depois de derrubado, eu me levanto mais forte. Cya.

quinta-feira, 16 de maio de 2013

"E eu sei que eu posso fracassar também."

"Eu fiquei tão entorpecido, nem posso sentir você aí.
Fiquei tão cansado, e muito mais consciente.
Eu estou me transformando nisso,
Tudo que eu quero é ser mais como eu sou,
e menos como você é."

Cya.

O que me convém?

"Jogar tudo pro alto me convém,
estar acima da razão só porque somos jovens, só porque somos jovens.
Desesperado com o mundo eu estou também.(...)"

Cya.

terça-feira, 7 de maio de 2013

Auto-análises analiticamente automáticas.

Sempre percebi que eu reclamo demais. E eu parei pra observar que na maioria das vezes as minhas reclamações começam com "as pessoas isso" ou "as pessoas aquilo". De tão óbvio chega a ser absurdo o quanto a causa de no mínimo 90% dos problemas que eu observo vem de pessoas babacas ou de atitudes estúpidas. O grande problema é o ser humano, é o seu egoísmo, a sua inconsequência, o seu egocentrismo, a sua ganância, o seu orgulho. Eu queria que fosse relevante só aquilo que é bom de se observar, até que um dia, eu na verdade percebi, que o problema não é o jeito que eu enxergo, eu fui só corrompido. O problema é, na verdade irrefutável, a maneira com que as coisas são feitas.

Cya.

sábado, 4 de maio de 2013

I'm the enemy.

"I'm the voice inside your head, you refuse to hear.
I'm the face that you have to face, mirrored in your stare.
I'm what's left, I'm what's right, I'm the enemy,
I'm the hand that'll take you down, bring you to your knees...

What if I say I'm not like the others?
What if I say I'm not just another one of your plays?
You're the pretender,
What if I say that I'll never surrender?"

Cya.

segunda-feira, 29 de abril de 2013

O amor da sua vida.

"Ninguém ama outra pessoa porque ela é educada, veste-se bem e é fã do Caetano. Isso são só referências. Ama-se pelo cheiro, pelo mistério, pela paz que o outro lhe dá, ou pelo tormento que provoca. Ama-se pelo tom de voz, pela maneira que os olhos piscam, pela fragilidade que se revela quando menos se espera. Amar não requer conhecimento prévio nem consulta ao SPC. Ama-se justamente pelo o que o amor tem de indefinível. Honestos existem aos milhares, generoso têm, às pencas, bons motoristas e bom pais de família, ta assim, ó. Mas ninguém consegue ser do jeito que o amor da sua vida é.'' - Arnaldo Jabor.

Cya.

quinta-feira, 25 de abril de 2013

How it unwinds.

"Why I never walked away?
Why I played myself this way?
Now I see you're testing me
It pushes me away."

Cya.

sábado, 6 de abril de 2013

Love keeps us kind.

"When you've suffered enough
And your spirit is breaking
You're growing desperate from the fight
Remember you're loved and you always will be
This melody will bring you right back home."

Cya.

Inimigo.

"Cai, cai?
Agora é você que cai.
Que se foda se você não me acompanha mais.
Foi-se o tempo que tudo era perfeito.
E eu pedi à Deus para me tirar desse tormento.
Bang, bang, é mais um que caiu
Outra alma subiu e o mundo se fez.
Por caminhos e histórias, vitórias e glórias
Hoje eu dedico tudo isso pra você."

Cya.

quinta-feira, 28 de março de 2013

Keep rolling.

"Cause the sun always sets, the moon always falls.
It feels like the end, just pay no mind at all.
Keep rolling, rolling... Life must go on."

Cya.

Preso na liberdade.

É comum a falsa sensação de controle. Controle da sua vida, das suas ações, das coisas que vêm pra você. Aquela sensação de alívio quando uma coisa se resolve, ou um problema se dissolve. De que a paz reina, de que tá tudo certo. Aí é que mora o perigo: ao contrario do que dizem, a calmaria vem é antes da tempestade.

Cya.

terça-feira, 26 de março de 2013

"Shed my skin."

"It seems I've gone away,
It seems I've lost myself,
It seems I've really lost my way,
It seems I've lost myself,
It seems I've..."

sexta-feira, 1 de março de 2013

Ghost of days gone by.

"The misery I know
Like a friend that won't let go
Is creeping up on me now once again."

Cya.

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Blue sky's turning grey.

"And who is gonna save you when I'm gone?
And who'll watch over you?
And who'll give you strength when you're not strong?
Who'll watch over you when I'm gone away?"

Cya.

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

If you only knew.

"Bem... nos primeiros estágios da gravação do "The sound of madness", eu recebi uma ligação no estúdio. E do outro lado da linha, o cara me disse: "voce tá sentado?", e eu disse que sim, e ele disse: "bom, porque eu tenho algo pra te contar. Em nove meses, você vai ser pai." Esse ano, dia 26 de dezembro, meu menininho vai fazer 3 anos... E isso significa que eu não uso drogas há mais de dois anos e meio, entende? Meu filho salvou minha vida. Me salvou dessas vaidades, e cada parte do meu corpo que era tão egoísta, ele destruiu. É uma experiência incrível e uma emoção imensa quando você olha para os olhos de algo ou alguém que você criou e percebe que ele é maior que você. A última coisa que eu quero que meu filho diga quando perguntarem como é o seu pai é: "meu pai é um viciado em droga'' ou ''meu pai é um rockstar e nada mais de importante''. O que eu quero, quando perguntarem a ele, é que ele olhe para a pessoa e diga: "meu pai? meu pai é o cara mais legal da face da terra!"  - Brent Smith.

Cya.

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Auto-vítima.

"A gente nasce, cresce, vive, morre." Mentira... Não precisaria de muito mais experiência do que a pouca que eu tenho - e nem de muito mais do que bom senso - pra perceber que isso tá errado. Não na sua ordem literal e cronológica, e talvez, até poética da coisa. Mas o lance na real, é que esse curto período de tempo/espaço que você tem, você só precisa saber de uma coisa: Se você tá aqui pra ficar no time que fuzila, ou no time que tá vendado de frente pro paredão. Há quem se acha livre disso, hão de achar sempre, mas são poucos os que tão com o fuzil na mão, e são realmente muitos os que tão esperando o projétil na nuca, passivamente, sabendo ou não que vão cair.
Sempre confuso, jamais sem sentido. Cya.

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Jamais serão.

Fazer a coisa certa nem sempre rende recompensa, mas se faz sempre necessário... sempre.

Cya.

domingo, 20 de janeiro de 2013

sábado, 12 de janeiro de 2013

Problema Vigente.

O mais comum hoje em dia é a falta de esperança e de fé. Não, não a fé em seres místicos, mas aquela força que faz você acreditar nas coisas, e em você mesmo. Pessoas vazias, sonhos banais, tudo tão errado.
"- O mundo mudou, Jack.
- Não, o mundo é o mesmo. Só existem menos motivos pra se viver nele."
Justo, não? cya.

segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

Primeiro do ano.

Já é dia 7 de janeiro de 2013, e é o primeiro post do ano, depois de vários intervalos consideráveis entre uma postagem escrota e outra. E claro, nada nessa seria diferente, é só mais um conteúdo escroto...
Eu só queria constar que eu espero MUITO de 2013, e também tenho consciência da possível decepção. Eu só quero que seja um ano novo, não de substituições, mas de adições. Quero coisas novas, coisas que se somem a tudo que eu já to acostumado, e que façam desse ano e dos próximos uma coisa melhor, no geral. Correr atrás de certos erros de antes é possível, lutar por novas ambições é necessário. Concretizar mais ainda os ideais que eu mantenho, buscar novas conquistas, e tentar, na medida do impossível, fazer o meu melhor pra quem corre do meu lado. Isso é o que eu almejo, e se for parar pra pensar, não é muito, só que é necessário. "Acredite e corra atrás, porque a unica coisa que existe entre você e o seu objetivo, é o seu medo."

Cya.